Espa loucinha



BRINQUEDOTECA: A CRIANÇA, O ADULTO E O LÚDICO

Leia livros sobre este assunto

PUBLICIDADE

O que é Brinquedoteca?

Como uma das formas de retomar o debate sobre a importância do brincar e mesmo de oferecer às crianças as oportunidades que a família e a própria escola lhes vêm negando de exercer esse direito, têm sido estimulada nos últimos anos, a implantação das chamadas Brinquedotecas ou Ludotecas.

A Brinquedoteca, na definição da Professora Nylse Helena da Silva Cunha (Presidente da Associação Brasileira de Brinquedotecas) é:

“um espaço preparado para estimular a criança a brincar, possibilitando o acesso a uma grande variedade de brinquedos …. é um lugar onde tudo convida a explorar, a sentir, a experimentar.”

Uma Brinquedoteca pode ter vários objetivos, entre os quais:

PUBLICIDADE

– estimular o desenvolvimento integral das crianças,

– valorizar o brincar e as atividades lúdicas,

– possibilitar à criança o acesso a vários tipos de brinquedos e de brincadeiras,

– enriquecer as relações familiares, através da participação dos adultos nas

– atividades infantis,

– emprestar brinquedos,

-desenvolver hábitos de responsabilidade e cooperação entre as crianças e entre

crianças e adultos.

Existem, no Brasil e no mundo inteiro, Brinquedotecas que possuem um ou vários destes objetivos ou ainda com preocupações específicas, dependendo do contexto onde foram criadas.

Assim, encontramos Brinquedotecas:

– em hospitais,destinadas a amenizar o sofrimento das crianças internadas,

– terapêuticas, que auxiliam no trabalho com crianças portadoras de deficiências,

– anexas a Universidades, onde se realizam pesquisas sobre o desenvolvimento infantil e onde s o testados novos brinquedos e brincadeiras,

– comunitárias, onde as relações de vizinhança s o estimuladas,

– em clínicas psicológicas, quando colaboram no tratamento de crianças com dificuldades de comportamento etc,

– compostas por material de sucata (as “sucatecas”) que utilizam brinquedos confeccionados com material em desuso.

O que não se pode esquecer é que qualquer que seja o tipo, o acervo, os objetivos específicos da brinquedoteca, nela a criança tem oportunidade de

“…entender tantas coisas através do brincar, … se entender através de tantas maneiras de brincar” (Fanny Abramovich in Brinquedoteca, o Direito de Brincar)

A Brinquedoteca na Pastoral da Criança

O principal objetivo do projeto “Brinquedos e Brincadeiras” na Pastoral

da Criança é o de estimular nas nossas comunidades o “brincar” como um

elemento indispensável ao pleno desenvolvimento das crianças.

Entretanto, apesar da importância de conhecermos as brinquedotecas existentes hoje no Brasil, é preciso n o perder de vista a realidade da Pastoral, que difere básicamente de todas as experiências conhecidas, uma vez que n o dispomos de locais, nem de recursos para a montagem de um acervo de brinquedos.

Assim, na Pastoral da Criança, a Brinquedoteca deve ter como principais características:

– 1 – O resgate da cultura local, através do estímulo às danças, jogos, músicas e outras atividades típicas de cada comunidade. Para isso, as líderes poder o

programar encontros com as crianças e suas famílias, onde o tema, o objetivo, as atividades ser o a realização de atividades culturais valorizadas na comunidade. Assim, teremos os cantadores, os violonistas ou mesmo as serestas em que todos recordam as músicas e danças de sua juventude. As festas juninas no nordeste, a panelada no sul, em cada região, em cada município, encontraremos atividades culturais típicas que podem ser motivo de integração das famílias e de desenvolvimento das crianças.

– 2 – O incentivo ao “brincar junto”, em que as famílias, compreendendo a importância das atividades lúdicas, delas participem. São as tardes (ou manhãs) de lazer, que muitas de nossas líderes já promovem e onde adultos e crianças brincam descontraidamente, utilizando ou n o brinquedos ou outros materiais.

Nesses momentos, sempre que possível, é importante promover a auto-expressão plástica: desenhos, pinturas, modelagem com argila, são atividades que podem ajudar na integração famililar, nas aprendizagens infantis, na descoberta de sua própria capacidade criadora.

– 3 – O estímulo às atividades realizadas em contato com a natureza – caminhar, subir em árvores, reunir-se à sombra de uma árvore para contar histórias, observar o ambiente, colecionar folhas, sementes, pedras, etc – são atividades

que podem reunir as famílias em momentos prazeirosos.

– 4 – A realização de “oficinas de brinquedos”, onde adultos e adolescentes constroem, com material de baixo custo coletado pela própria comunidade, brinquedos que possam ser doados, emprestados ou trocados, especialmente pelas crianças menores.

– 5 – A troca de brinquedos, quando as crianças e as famílias emprestam seus brinquedos, industrializados ou construídos artesanalmente, para que todos tenham oportunidade de vivenciar brincadeiras diferentes.

Em todos esses momentos e atividades, a líder pode debater com os participantes temas como a importância do brincar, a necessidade de oferecer às crianças brinquedos e brincadeiras que sejam, antes de tudo, estimuladores de seu desenvolvimento integral,…

Um dos principais objetivos das líderes será sempre o de sensibilizar a família para a importância das atividades lúdicas, capacitando-a inclusive para que assuma seu papel de educadora das crianças pequenas, ressaltando que, quanto mais a família participar e incentivar as brincadeiras infantis, melhor cumprirá esse papel.

Assim, esperamos que as Brinquedotecas Experimentais organizadas pela Pastoral da Criança venham a servir como elemento catalizador das atividades, reunindo e aportando novos significados, através das atividades lúdicas, à mística, à filosofia de trabalho, à pedagogia libertadora que orientam nosso trabalho.

Acreditamos que, à medida que tais experiências sejam divulgadas, passar o a ser difundidas enriquecendo as comunidades e as famílias e oferecendo às crianças novas oportunidades de desenvolvimento.

Normas para o Funcionamento das Brinquedotecas na Pastoral

CADA BRINQUEDOTECA DEVE CONTAR COM:

– Um responsável pelo material e pelos brinquedos – pode ser uma das líderes;

– Local para acomodação dos materiais – sugerimos as caixas empilháveis;

– Local para o desenvolvimento das atividades – de acordo com a realidade de cada comunidade, pode ser o sal o paroquial, a sala de uma escola, …

São atribuições do responsável pela Brinquedoteca:

– Zelar pelo material e pelos brinquedos;

– Cadastrar as crianças e famílias que participar o,

– Planejar as atividades: semanais, mensais ou diárias,

– Promover reuniões com as famílias com o objetivo de esclarecer sobre a Brinquedoteca,

– Promover oficinas para construção de brinquedos envolvendo não sóas famílias das crianças como outras da comunidade etc:

– Buscar recursos financeiros e/ ou materiais, na própria comunidade ou em outros locais, para enriquecer as atividades da Brinquedoteca;

– Participar dos encontros de capacitação em Educação Essencial;

Modalidades de Funcionamento da Brinquedoteca

1 – Para as crianças

A partir do número de crianças da comunidade, do local onde funcionará e do número de adultos disponivéis, pode-se prever várias alternativas para a freqüência das crianças à Brinquedoteca:

– Todos os dias da semana, atendendo um grupo de 15 a 20 crianças a cada dia, perfazendo um total de 75 a 100 crianças por semana em um horário ou de 150 a 200 se a Brinquedoteca funcionar em dois períodos de quatro horas cada;

– Duas ou três vezes por semana, também com grupos de 15 a 20 crianças;

É possível atender a um número ainda maior de crianças se o horário de cada grupo for reduzido para duas horas;

– A “hora da história”, em que possa reunir crianças, pais e mesmos irm os mais velhos, para que uns contem histórias para os outros – podem ser as histórias dos livros infantis ou os “causos”contados pelos mais velhos, principalmente as vovós e vovôs.

Observação

ex:

1- Sempre que houver mais de 10 crianças em um grupo, é necessário contar com pelo menos dois adultos.

2 – O período durante o qual cada criança permanecerá na Brinquedoteca é de sua livre opção – por exemplo, se a Brinquedoteca está aberta das 14:00 às 18:00 uma criança poderá permanecer no local todo o período enquanto outra permanece apenas das 14:30 às 15:30.

3 – Durante a permanência da criança na Brinquedoteca, o papel dos adultos será o de propor, orientar e controlar brincadeira, porém cada criança terá a liberdade de decidir se deseja ou n o participar das atividades propostas – o principal objetivo deverá se permitir que a criança brinque e experimente os materiais.

4 – Entretanto, é indispensável que o adulto responsável oriente todos os frequentadores da Brinquedoteca para os cuidados que precisam ter com os brinquedos e materiais, sendo tarefa de cada criança arrumar e manter limpos os que utilizou.

5 – O empréstimo de brinquedos será uma decis o da equipe local, que deverá estabelecer quais os que podem ser emprestados, em que condições etc.

 importante estar atento para alguns aspectos:

– As crianças maiores (mais ou menos de 04 anos em diante) provavelmente poder o entender que os brinquedos devem permanecer na Brinquedoteca, pois estar o à sua disposição quando ela retornar;

– Os pequeninos já n o entendem este tipo de raciocínio, porém s o mais fáceis de convencer e é possível que aceitem levar para casa um brinquedo de sucata, por exemplo;

– Os brinquedos industrializados e mais frágeis ou de muitas peças, em princípio não devem ser emprestados, pela dificuldade que representa a sua reposição;

– Uma das normas para empréstimo é que o brinquedo seja sempre devolvido, mesmo que esteja um pouco danificado.

2 – Para as famílias e a comunidade

É indispensável que a Brinquedoteca, antes de mais nada, seja um espaço que estimule as atividades de lazer entre pais e filhos. Para isso, é necessário prever atividades como:

– Reuni es para construção de brinquedos a serem utilizados na Brinquedoteca; quando for construído um número grande de brinquedos semelhantes, alguns poder o ser reservados para empréstimo ou doação;

– “Momentos de lazer”, em que as famílias participem juntas de

brincadeiras, atividades de auto-expressão plástica e musical,…

– Nas comunidades onde, ao entardecer, as famílias se reunem à porta das casas para conversar, promover, em dias pré-determinados, jogos, brincadeiras, brinquedos cantados ou mesmo o contar histórias, podendo ser utilizados nestas atividades os brinquedos e materiais da Brinquedoteca;

Quando a criança faz o que gosta e sente-se feliz, ela aceita um desafio e resolve o problema com criatividade. O aluno precisa de espaço para expor suas idéias, assim terá iniciativa para explorar a criatividade que muitas vezes passa sufocada dentro de si.

A escola precisa oferecer um espaço de experimentação e criação, estimulando um sentimento de cooperação e solidariedade, além de trazer possibilidades de chegar-se a Zona de Desenvolvimento Proximal na criança, podendo torná-la capaz de desenvolver-se em sua plenitude.

Em meio a descontração, as brincadeiras o brinquedo, os espaços favoráveis a criança internaliza o conhecimento que lhe é oferecido, relacionando-o com as vivências do seu dia-a-dia e usando-os ou transformando-os para melhorar a sua realidade e as de quem as rodeia.

Muitos são os aspectos existentes em relação ao brincar e aos brinquedos, cada criança apresenta um jeito de ser e de brincar, ela é única. O brinquedo e a brincadeira tornam o ambiente, os espaços da escola, um lugar onde aprende-se com criatividade, curiosidade, significado e trazendo à tona o pensamento e a expressão da criança, tornando-se um grande aliado na educação.

A brincadeira do faz-de-conta tem uma ligação entre os sinônimos brincar/assimilar.

Brincando a criança se diverte e assimilando conceitos ela envolve-se em uma realidade, cujo, “faz-de-conta” representa, introduzindo ação e sentimento à objetos, como um pedaço de madeira ou um carrinho, que na brincadeira podem andar, dormir, comer ou sorrir.

Brincando de imitação a criança tem a capacidade de transportar o mundo real para o mundo imaginário e vice-versa, resolvendo suas angústias e conflitos imediatos, assimilando e compreendo melhor os conceitos.

Diferentes Espaços da Brinquedoteca

1. Canto do “faz- de conta”.

É um espaço com móveis infantis:

· de cozinha – pia de lavar louça, panelinhas, fogão, geladeira, mesas e cadeiras, loucinhas e outros.

 de hospital – uniforme, consultório, luvas, etc.

 de supermercado – carrinho de feira, objeto para comprar.

 de camarim – com espelhos, fantasias, chapéus, adereços, bijuterias e maquilagem, roupas e sapatos, gravatas, xale, etc.

2. Canto da história

· Um espaço com tapetes, almofadas, colchonetes, mesas e cadeiras (pequenas e coloridas).

 Livros infantis (confeccionados e/ou comprados).

A primeira forma de leitura é a leitura de imagens, figuras, este espaço é para o cultivo ao hábito da leitura.

3. Canto das Invenções/ Sucatoteca/ Oficina

· Local onde serão deixados avisos, recados, notícias, fotos,etc.

4. Sala de Jogos

· Vários tipos de jogos de interesse para a faixa etária de 04 a 12 anos (memória, vareta, …).

Autora: Marcia Maria Kaschuk




Você tem interesse em planos de aula, atividades com datas comemorativas, músicas infantis, jogos e brincadeiras, tudo isso pronto para você baixar e adaptar?


EU QUERO!

Talvez você se interesse:

Tabuada Fácil

Comentários

Carregando comentários...